terça-feira, 4 de setembro de 2007

FILHOS DA MANTIQUEIRA


Filhos da Mantiqueira
Ser ou estar... Não quero escrever hoje sobre a genealogia plancheniana poética... Quero falar de outras coisas, mas o frio me dá vontade de tomar café com leite e um queijinho derretido até num micro ondas... Dias desses estive em Paraisópolis, nosso Sul de Minas Gerais... Essas bandas da Mantiqueira parecem-me uma só região, pena que tem a divisão política entre São Paulo e Minas Gerais HE.HE.HE. Minas Gerais... Onde nunca morei e não morrerei... Costumo fazer para os meus entrevistados a mórbida pergunta: __ onde morrerão? Não sei por que me vem esta pergunta. Queria que um leitor qualquer decifrasse esse enigma...Estou muito contente, vamos nos apresentar no Festivale este ano... Acompanho este Festival desde 1990 quando jogava luvas perdidas no palco por um ator. Era a peça de um casal e eu tinha meus vinte anos...Sempre soube o que queria, pena que ainda não alcancei... Quero fazer poemas como Reginaldo Poeta Gomes! Ele conseguiu falar da cueca que lavava. Que sacada simples e fenomenal de um poeta. Ser simples e direto e criar temas nunca poetizados... Geralmente sou pornográfico... falo da calcinha...da nudez...mas nunca da minha mudez...fico sempre em silencio e sempre achei que o silencio era meditação, santa ignorância, meditar é calar a mente... Agora, depois de anos compreendo Zaratustra de nosso irmão Fred Eric Nietze, quando este subia as montanhas... Eita vida marvada...
Manhãs passam como a vida. Dia desses li Clarisse Guimarães... que poetisa fantástica...esta moça ou mulher...ela profetisa...daquelas que contam historias tão bem... Num de seus poemas, falava de mulheres que recebiam para fazer amor nos templos... não entendemos nada disso... Ela também nos contava através de suas cartas virtuais, de como bárbaros faziam amor...fala de tudo em suas cartas, mas nunca fala de si mesma nem onde mora, como vive... mas é fabulosa! A primeira vez que tive contato com ela foi numa carta que recebemos seus livros para publicarmos no LITTER.
De lá pra cá mantemos contato por carta e pela net...Fala da vida de uma maneira simples...que mulher apaixonante! Ela adora viajar e diz que conhece bem estas bandas da Mantiqueira nas divisas de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro.
Para ela, esta Mantiqueira é mágica... muito mágicaaa... E por falar nisso, Edu Planchez estará em Lorena, quem sabe Clarisse o visite... Nunca nos visitou em corpo físico...ainda não sabemos se Clarisse realmente existe...mas tudo bem, já somos prisioneiros do Mundo de Beth...
Mas devo ficar com a mente quieta, a espinha ereta e o coração tranqüilo como diz aquela músicaaaa...
Tudo flui nesta terça-feira e não leio Lobsang Rampa, mas vejo um quadro de Davi Fernandes de Faria...sobre o TIBET...
Vou-me indooo... meu tempo termina...andarei pelo calçadão... a ver belas raparigasssss....

João Carlos Faria

Nenhum comentário: