domingo, 4 de novembro de 2007

JOCA FARIA ENTREVISTA SANTOS CHAGAS








Manda vê, guri!
Eis-me aqui
na expectativa
do que possa ser perguntado!
Espero ter respostas
já que uma parte
e grande
da minha Vida
está repleta
muito mais de perguntas
que de respostas!

Vamos lá, então,
exercitar o diálogo
e que proveito tenham
todos aqueles
que a este exercício
tiverem acesso!


Entrevista Santos Chagas

Quem é este poeta?

Um homem que já vivenciou tantas linguagens e situações do seu povo, que ficou meio parecido com o próprio Brasil: uma esfinge quase continental, repleta de influências do mundo inteiro, doido pra achar uma forma de expressão que permita decifrar a imensidade da ALMA brasileira, esse poço sem fundo de ansiedades e fraquezas e fortalezas insuspeitadas. Um homem do terceiro milênio, que acredita que poeta é aquele que vive a PALAVRA no seu cotidiano, seja na elaboração de um texto, seja numa conversa de boteco ou num diálogo casual sob a chuva fina de um final de tarde numa cidade qualquer. E, até, nos solilóquios interiores de algumas madrugadas insones.

O que é arte?

Arte é expressão do Espírito. O espírito só, sem expressão alguma, não é arte. A expressão, sem espírito, também não. Quando o espírito, que é intangível, encontra alguma forma tangível que o represente, o fenômeno da arte se completa. O instrumento desta expressão é o Homem.

Onde nasceu, cresceu? Onde vai descansar eternamente?

Nasci em Lambari, na região sul do estado de Minas Gerais. Cresci ali mesmo, até os dez anos de idade e depois adolesci e amadureci em São José dos Campos, São Paulo, Vale do Paraíba. Também cresci em Curitiba, Palmares, Recife, Blumenau, São Thomé das Letras, São Vicente de Minas, Paranaguá, Ubatuba, Caraguatatuba, Rezende, São Paulo, Rio de Janeiro e mais um porrilhão de cidades deste país imenso e sempre desconhecido.

Jamais descansarei eternamente!

Acredita em Deus? Religiões, precisamos delas?

Sim: eu mesmo sou a expressão de Deus, assim como você e o resto dos povos.

Sim: alguns de nós, não todos nós, ainda precisamos delas.

Política, como trabalhar de fato para o bem comum?

Trabalhando de fato para o meu próprio bem e ampliando esse bem para cada vez maior número de pessoas. Uma pessoa que não tenha "bem próprio" jamais saberá o que é "bem comum".

Quais as diferenças entre São Paulo e Paraná na cultura? Os pontos positivos e negativos.

As diferenças são mais aparentes que reais. A cultura, como todas as coisas, tem seus ciclos. Pode-se dizer que São Paulo já cumpriu alguns ciclos a mais que o Paraná, mas as trajetórias são bem parecidas. Talvez o Paraná seja mais fechado em si mesmo, mas já apresenta ciclos de abertura, principalmente na música, na literatura e no trabalho de alguns atores e agitadores culturais mais atrevidos.

O que anda fazendo ai? Onde fica este ai?

Aqui é Curitiba, capital do estado do Paraná. Ando escrevendo, cantando, teatrando e fazendo incursões no terreno do áudio-visual. Exemplo disto é o longa metragem Sol na Neblina, de Werner Schumann, que até ganhou um prêmio no Festival de San Sebastian, na Espanha. Também o clip Pernambuco Chorou, da banda curitibana Terminal Guadalupe, que já foi à TV Câmara, discutir sobre o sistema penitenciário brasileiro e foi selecionado pela MTV do Brasil, para representar o país no Festival de Arte Brasileira Contemporânea, em Barcelona.

Para o ano que vem, devo participar de dois curtas produzidos aqui e lançar meu trabalho musical ORARES, junto com meu filho Mateus Chagas. O resto só o tempo há de dizer.

Como é o governo Lula na questão cultural?

Melhor perguntar pro Gilberto Gil ou pra Beth Brait, que entendem disso bem mais do que eu.

Teatro... o que anda acontecendo de novo hoje?

A mesma velha história: o novo tem pouco público, pouca verba e pouco interesse de quem quer que seja. Então, como vamos ter acesso a ele e, mais, como dizer o que anda acontecendo? Pessoalmente não tenho visto nada que me toque profundamente e me deixe com vontade de sair cantando pelas ruas. Isso, para mim, seria o novo. (È necessário esclarecer que não sou a melhor pessoa para falar sobre isso. Tenho sido muito ingrato ao Teatro, enquanto público).

O que acha de fazermos um longa metragem a custo zero e com roteiro em processo colaborativo?

Sinceramente? Não acredito em custo zero quando o assunto é cinema. E prefiro roteiros personalizados, com uma figura central na criação, sem certos democratismos que costumam, no mais das vezes, diluir boas idéias e destruir boas amizades.

Tem acompanhado a cena Joseense?

Apenas através de e-mails e mensagens de amigos no ORKUT. Portanto, mais uma vez, não posso falar muita coisa a respeito.

Sua arte fala do que?

De mim mesmo.

O que é ser artista no BRASIL?

É ser o instrumento de um universo multifacetado, contraditório, louco e quase incontrolável. É meio como pegar um touro a unha, sem ter ensaiado a cena antes.

Como vê a internet?

Como uma tela cheia de possibilidades, como uma revolução nas comunicações, como uma ferramenta de expressão, como um rio que ainda não sabemos em que mares vai desaguar.

Graças a Deus considerações finais?

Muito Obrigado pela oportunidade de expressar estas opiniões! Tô com baitas saudades desse Vale Encantado do Paraíba e dos grandes amigos que tenho aí.

Beijo na ALMA de todos e no coração dos artistas que aí resistem!

favor mandar fotos e videos e também cartas de tarot.

Vejam o clip Pernambuco Chorou no youtobe ou na minha comunidade do ORKUT, que tem o mesmo nome. Sou meio chucro pra essas coisas de mandar material virtual e acho que não tenho muitas fotos ou outros materiais para enviar.

Um abraço!

Outro procê também.

Joca Faria

www.cidadedaspalavras.com.br

Nenhum comentário: