terça-feira, 30 de setembro de 2008

Cidade das Palavras
Dedicado a Carlinhos Almeida

João Carlos Faria




Faz dias que não escrevo minha proposta literária e de um ou mais texto por dia inundando os blogs e caixas postais de todo mundo. Não posso começar um texto nesta semana sem falar no poesia no prato... Que é o começo de mais um movimento na minha vida cultural... É o primeiro sarau que participo que alimenta o corpo e alma... Graças ao casal de poetas Zenilda Lua e Reginaldo Poeta Gomes... Venho a vidas e mais vidas participando destes sarais nas mais valiosas recorrências... Após um inverno rigoroso que passamos na Cidade das Palavras eu e o guerreiro Marcelo Planchez. Agora cada um de nós segue sua jornada profetizada por Solfidone... Agora estou feliz faço novas amizades nestes saraus... .como Zenilda e Reginaldo e a doce princesa Vanessa Alves.
Que conheci em um dos Sarais hoje a noite tem o sarau maldito de Beatriz Galvão no Hocus Pocus esta cidade esta se incendiando ainda somos poucos... Mas tudo é um grande circulo... A minha editora está se viabilizando só me falta seiscentos reais para lançar cinqüenta livros do Retinas e meu segundo livro está em fase de revisão não posso reclamar de dois mil e oito.
Tudo está aconcetendo...algumas amizades abaladas mas somos artistas temperamentais. Até com Diogo Gomes meu mestre da sétima arte to me reencontrando...sem falar na parceria cinematográfica com Rynaldo Papoy um amigo encontrado na internet...E que está na terceira versão de um roteiro que será filmado em janeiro de dois mil e nove...nesta cidade.
Ontem numa livraria encontrei um titulo de livro chamado Cidade das Palavras ainda não há livros nossos nas grandes livrarias, mas é só questão de tempo... E muito suor... Edu Planchez já se entrega a cena nacional com seu grupo de poetas cariocas... Tudo flui é o universo nos prestigiando Lasdilau se foi sua obra ficou... Ir-nos-emos , mas nossas obras ficarão...
Entrando no clichê viva Cesário Verde...que começo a ler. Marçal Aquino nos falou leiam os clássicos principalmente os Russos seguirei sua dica...Tó indo que estrearei minha saia colorida no sarau desta noite...mas sem nenhum exagero...em breve sai o quarto cd de poetas joseenses...Iniciado com Marcelo ...e hoje com minha produção ...
Vou me indo mas não se esqueçam votem PT votem 13...O Lula está fazendo um governo como se nunca viu na história deste pais...Só estou sem trabalho formal porque a minha missão é a cultura e não posso me omitir ...Aqui em SÃO JOSÉ DOS CAMPOS é Carlinhos de Almeida para prefeito...Wagner Balieiro vereador...Cosme Vitor e Angela Guadagnim no mais sorte a todos...Vamos que o treem bala logo chega....


Joca Faria

Editora Mundo Gaia

Literatura, Filosofia e arte...

www.mundogaia.com.br


Confiram o site de artes WWW.entrementes.COM.BR

sexta-feira, 26 de setembro de 2008

João Carlos Faria


Lúxurias

Meu caro Kharistos quando chegamos Á verdade nada mais é importante tudo passa a ser uma encenação.... Estive a caminho do inferno nesta tarde... E voltei....
Ainda não estou preparado para ir ao inferno e ser testado... Se for perco-me nas lúxurias.
Dizem que você deixou este plano físico... Mas você vive no meu coração... Sua poesia pulsa na minha poesia... Ainda construiremos aquele teu templo do saber. Tenho os desenhos... Você ainda é o senhor. Krilll... Está vivo seu nome foi escrito na não mais existente Irmandade Neo Filosófica hoje estamos dispersos por causa de nossas injúrias queríamos asfixiar o peixe com a cobra. Por isso falhamos ninguém destrói o peixe...
Como éramos ingênuos nos acreditávamos magos e éramos os palhaços....
Nossa missão nilinistas foi cumprida... Mas ai de nós resto unos os Karmas agora estamos a ranger os dentes....
Conte comigo para tudo até te acompanho aos infernos.... Meu caro Kharistos ... Hoje a Beatriz Galvão segue com seus quatro sarais... Passarei a ela alguns de nossos segredos... Que só a Irmandade Neo Filosófica possuía e todos que procurarem nas estantes das livrarias , mas digo saibam ler as entrelinhas.
Bons tempos em que andávamos com o mestre Solfidone e nos mostrava os segredos da semiótica...
Vá Kharistos onde quer que esteja... Siga a sua sina... Quem nos trará a chave?
Ainda não sei restam - me cinco longos anos neste plano talvez se prolongue e fique mais trinta depende de onde esta á chave?
O Solfidone anda agora só lá para as bandas do Satélite ele renega seus antigos discípulos.
Vou-me indo... Volte volte volte nos veremos nas próximas existências?
Beijo a você e a Beatriz Galvão ela que segue com seus quatro sarais trazendo a liberdade... A esta cidade... cidade maldita...São José dos Campos...
Ainda pagaremos o KHARMA das bombas que fizemos... São José Das Mortes na África no Oriente Médio....


Joca Faria

Editora Mundo Gaia

WWW.mundogaia.COM.BR

quinta-feira, 25 de setembro de 2008

Urubus no poder...em vôos sórdidos...


Joca Faria


Na manhã ela se debruça na janela e o circo passa como mágica, suas mãos geladas tremem de prazer em ver o circo passar diante de sua janela... É de noite ela caminha pela cidade e tenta ir ás lojas Americanas, mas ta fechada... E a cidade toda fechada numa quarta-feira... Ela adora ficar nos pontos de ônibus vendo as pessoas cansadas voltando da escola do trabalho...
O cansaço das realizações plenas... Das vidas em cursos.. .ela anda pela cidade vazia nas noites frias de primavera as eleições está ai e partidos fascistas governam sua cidade... Toscos com bico...e enganadores do povo...é o fascismo é fascinante com suas câmeras espalhadas pela cidade enquanto guarda - municipais despreparados e ganhando mal...ficam dormindo...com suas redes armadas nos ...espaços...Enquanto a cracolandia se espalha no centro..uma cidade sem leis e ordem...cadê governantes enquanto tramam o roubo do dinheiro público através de licitações fraudulentas com prédios construídos sem nenhum preparo... É assim não deviam ser tucanos estão mais para urubus carniceiros... Que há doze anos... Fazem o que querem com seus cabides de mil pessoas...
E assim a moça caminha por uma cidade asséptica que escodem suas escorias em condomínios fechados que tem belas fachadas...Burgueses dormem...enquanto as periferias em loteamentos clandestinos sofrem em ônibus fedidos e sujos... Com passagens caras ...em subempregos quando os tem...e eles discursam na TV como se tudo estivesse bem...é o fascismo é fascinante...é o povo é iludido ....com esta corja de tucanos...balança balança que eles caem...e seu governador que contrata bandidos que torturam na ditadura ele tem um sistema de inteligência....e ela está com medo desta máfia tucana...
Ela vai pega um ônibus lotado... Que a leva a sua periferia... Sem asfalto... Sem água... Lá pras bandas do portal do céu...
Ela chega a sua casa... Cansada... Sem internet... Sem telefone... E sonha....
Que um dia tudo mude... E os fascistas que criam parques para a burguesia... Que rouba...o povo saia do poder...
E a esperança vença o medo....vote 13 vote Carlinhos de Almeida para uma São José dos Campos mais humana....


João Carlos Faria

Editora Mundo Gaia

Literatura, filosofia e arte

WWW.mundogaia.COM.BR

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

Era eu o dito...cadê Marcelino Freire?


Joca Faria


http://www.eraodito.blogspot.com/


O sol se faz presente , mas nosso corpo está frio nesta tarde de inicio de primavera meu horóscopo não é dos melhores mas to vivo ainda...Cadê você tenho estado só...sempre aqui atrás desta tela nunca sei quem você é...Ás vezes umas respostas mal humoradas e outras carinhosas...más só de vez em quando...quero sempre...preciso de seu calor humano...vou por uma bruxas pêra ai que volto e voto? Que voto? ... Neste frio fico de roupa... Mas com uma vontade louca de depilar o tórax... Só para sentir uma mão feminina em meu tórax... Sinto-me King-Kong... Na primeira versão...ou Tarzan fiquei sabendo hoje com a Patrícia Napuneceno que Tarzan é um livro bem fraco e virou Tarzan né...Hoje ela nos deu uma aula de cinema. É minha mais nova mestra...
Que mulher preparada é diz que não escreve que coisa com toda aquela Erudição como dizia Marcelino Freire Era o dito...
É tarde estão me pressionando dizem que esta minha mania de usar saia é coisa de boiola. Não estão enganados boiola é nunca ousar...é aceitar as mesmice da vida...e nunca mudar nenhum paradigma social...os beatnks ousaram...quem não quer viver que não viva eu estou bem vivo?...Não quero morrer num rio por seguir uma sociedade mais fraca do que eu...eu sou Jorge Saladino...sem nenhum medo...não tenho medo de mostrar minhas taras num texto...eu sou eu...e você VAI deixar de ser eu?...Quem sabe um dia me dissolvo no oceano infinito...por tomar a pílula ou comer do fruto da arvore do bem e do mal...
Ainda não consegui as câmeras e as câmeras um vai viajar de disco voador no dia. Mas calma não se desespere...e o personagem? Minhas idéias se baseiam em Flavio de Carvalho , Hanky Bay e na contra-cultura...Provos e as linhas variadas , tropicália e semana de arte moderna, Giles lespovtky...e por ai vai...Samael Aun Weor...tudo isto misturado é Joca Faria nada é novo...nos somos Jorge Saladio, Solfidone...Shostenes...Reynaldo Papoy...Edu Planchez...
E quem realmente queira pelo menos mudar a si mesmo e depois mudar o mundo... Seu homem ou mulher... Mude a si mesmo... É dolorido dói muito... Mas é possível...viva Patrícia Napunoceno...viva a nos ...e não o eu ...viva o ser...
Não tenho medo e tenho todos os medos...minha cabeça dói...cadé minha guitarra-elétrica cadê os Engenheiros do Havaí e sua silenciosa hauei...?
Somos livres? Quem é livre cadê Diógenes com sua lanterna apontado nossa indiferença com nosso ser?
Vou-me indo encontrar-me com Reginaldo com a Bia e Marçal Aquino agora tenho um quadro em minha casa. Pregado por minha mãe a Dona Cida um quadro de Davi F. F.
No mais um desejo ...quem sãos as Emilias e os Viscondes?

João Carlos Faria

Editora Mundo Gaia...

Literatura, filosofia e arte...
WWW.mundogaia.COM.BR

segunda-feira, 22 de setembro de 2008

De volta aqui graças ao ventre de Edu Plnachez este nome tá cotado entre os tres para o nome da editora...

Mundo Gaia

Cidade das Palavras

Litter

Qual será? Só a burrocracia dirá....
Santa Mediocridade Batmam....

http://www.myspace.com/oaeroparto

Joca Faria


Não tenho mais ídolos sou fã de mim mesmo. De minhas qualidades e defeitos. Tento superar meus defeitos, mas a onde esta minha qualidade?
Não sei, mas meu quarto merece uma pintura? Uma nova pintura...mas para simbolizar o que? Comemorar o que não sei talvez estar vivo...? Sempre em mudança ontem eu fui reacionário... Hoje sou libertário... Amanhã quem sabe um padeiro... Depois um músico... E sempre em mudança ás vezes pequenas mudanças. Hoje que besteira briguei sedo por causa de um copo de café santa mediocridade...
Agora to aqui quase onze horas da noite e sempre cansado ouvindo meu poemas na voz de Beatriz Galvão que lindo acho que sou um pouco surdo, mas ta lindo já trabalhei bastante na ueb divulgando o filme agora descanso ouvindo minha poesia agora poesia do mundo. Nada nos pertence nem nossa emoção transformada em arte...viva a poesia na voz de Beatriz Galvão...
Achava que não mais fazia poesia e me descubro poeta mesmo fazendo prosa... Hoje assisti ao filme Z de Costa GARVAS que lindo...já to há muitas horas na ueb...meus dedos viraram teclados...meus olhos uma câmera...cadê eu...tó dentro deste computador ele esta dentro de mim...cadê minha alma...sujeito...objeto...lugar...onde estou ...faço a chave sol...e me lembro que sou quase humano ...ridiculamente humano...
Estou aqui novamente quase dormindo...e a poesia de novo como companheira adoro Melões da Namíbia parece que escrevi tudo e não fiz nada tenho medo e pavor desta nova produção vou além dos meus limites quem sou?
Darei conta tenho um Melão nas costas e o alivio de cumprir a nossa jornada...
Ta tudo mundo ai ouço Aeroparto de Léo Mandi e sua turma maravilhoso uma bela cozinha sonora...já tou noutra e noutra...Num furacão chamado vida ...viva Beatriz Galvão...vou fundo e acento o pé no acelerador da vida um cd, um livro e um filme cadê a arvore e o filho salvem a mata atlântica....reflorestem a mata atlântica...to dentro e fora...sou umano...minha irmã não me quer fantasiado...sou família?
Não sei vai voar aeroparto...São José dos Campos aeroparto...



João Carlos Faria

Editora Mundo Gaia

Literatura, filosofia e arte...

WWW.mundogaia.COM.BR

sábado, 20 de setembro de 2008






DIANTE DO FURACÃO QUE CRIAMOS O MUNDO É MENOR
QUE UMA CABEÇA DE ALFINETE CORTADA PELA METADE


Meu verbo soterra o pássaro fedorento do velho
Já não há dicionário para esses monstros dormirem

Que a carapuça do saci sonolento seja desatarraxada
da tua cabeça parafuso sem rosca

Meu verbo arreganha as mãos para pegar teu samba estilhaçado
para no mistério da noite carioca arrombar as ruas,
ir até o mar de todos os manjares...
para viver nos versos de Ana Cristina Cesar
sem esboçar nenhum arrependimento

Diante do furacão que criamos o mundo é menor
que uma cabeça de alfinete cortada pela metade

O verbo que sai da minha bolota vermelha transcreve
inúmeras vezes o que as tradições orais nos legaram
para no centro do verão maior torcer o eixo
da luz que você me lança
até a água das nossas andanças tornar-se mineral

(Edu Planchêz)




O PAU DURO CONTEMPLANDO O GRELO ENCARNADO
É UM RELÂMPAGO DEVASTADOR
(A porta se abre com a fúria do sopro sinfônico)
(à Maria Pintora Frida de São Luís )



Os casais adoecem de tanto brigar, inglória atitude,
impotência, morbidez injusta, cegueira, falta de tesão, pica inútil,
xereca vazia, caralho que nunca vê o sol,
buceta arreganhada para nada

Minha poesia adora ver a porra encandecente transbordar
o canal da vagina, o útero, o ventre, a boca, o anus
e escorrer sem parar pelas coxas gargantas
até o sul da criança rubi

Foder até a foda se tornar um livro de histórias
Foder até o fim das guerras idiotas

O pau duro contemplando o grelo encarnado
é um relâmpago devastador

Pablo Picaso dorme nu sobre a sombra das tintas
de suas mulheres toreadas
A lança que não fura o boi atravessa as bolhas
que se formam nas camadas tênues
da geométrica vontade

Rei e Rainhas brincam de brincar
diante da porta do templo da gestação

A porta se abre com a fúria do sopro sinfônico
A porta se abre para espalhar o pigmento
do fascínio ensurdecedor

(Edu Planchêz)

segunda-feira, 1 de setembro de 2008

Barraco na fila do banco

Fui pagar uma conta no Banco do Brasil. Como não tenho conta lá, não pude usar o caixa eletrônico. Chegando no atendimento geral, havia uma fila gigantesca. Entrei na fila, mas havia um cara falando muito, muito alto. Não bastasse isto, era daquele tipo que fala mal de Deus e o mundo e chegou a gritar que o brasileiro era o povo mais covarde do mundo.

Falei: "Com licença, vou ser obrigado a ouvir sua voz até o fim da fila? Você não está conversando, está fazendo discurso. É candidato a vereador?"

Ele disse que estávamos numa democracia e poderia falar à vontade. Respondi: "Não está vendo que está incomodando a fila? Já pensou se eu começassa a falar alto: [Falando bem alto] E aí, pessoal, assistiram ao jogo ontem? [O banco inteiro me olhou]".

Um cara que falava com ele respondeu: "Os incomodados que se mudem". Respondi:

- Os incomodados que se mudem o caralho! Os incomodados que se mudem o caralho! Eu tenho que ficar nessa porra dessa fila para pagar minha conta. Você vai pagar minha conta? Vá se foder!

Funcionou. Até o final da fila, eles passaram a conversar baixinho, embora tivessem me lançado várias farpas, incluindo ameaças de morte, sem falar que ficaram me olhando feio até o fim. Também foram embora me olhando feio. Eu fiquei em silêncio e não olhei mais para eles, afinal eu já havia conseguido o que queria, que falassem baixo para que eu pudesse aguentar aquela fila maldita. [Ou bendita, pois paguei a conta enfim].

Saí do banco procurando por eles, achando que estavam me esperando para trocar socos comigo, mas desapareceram como ladrões de banco. É o velho ditado: cão que ladra não morde.