sexta-feira, 27 de abril de 2018


Tatiana Nacimento

[da matemática, da cabalística, da
numerologia racística dos eguns]


02/10/1992
111 defuntos
28/11/2015
111 disparos
23 anos depois
515 anos depois
05 corpos depois
02 segundos depois
tododia
=
87/dia
87/dia
87/dia
morte da periferia
estatística necrofilia
pretofobia estadista
y viva la policía
?





Tatiana Nacimento

FRAGMENTO POEMA :

manhã (v. 01/016)

minha mãe é vento e todo dia de manhã eu vou com os
cachorros me abraçar com ela no ponto de entorpeci
-
mento das minhas cartilagens
o coração é uma engrenagem rangendo fundo no peito
raso rasgado pela amargura da cidade
aço, concreto, paisagem de cimento
minha mãe se chama a dona dos ventos, das tempesta
-
des, das paixões,
e dos mortos.


quarta-feira, 25 de abril de 2018



Livro Lundu de Tatiana Nascimento


 https://palavrapreta.files.wordpress.com/2017/12/lundu_tatiananascimento_2ed.pdf


transmutá:
 
 
em nome do cais
do trilho
e do espírito banzo
ele me disse sim
disse sem senão
era a gira da vez
em nome do capataz
do grilho
e do espírito claustro
ele temeu que sim
ele disse: não!
palenque, QUILOMBO em vez
em nome do maíz
o milho
e seu espírito quântico
ele me disse "sim"
a flor da explosão
curando sua tez
em nome do saravá
do brio
e do espírito solto
ele me disse sim
c num ouviu não?
ele disse tao... nuvens...
em nome do ai
do íleo
e do espírito sângueo
em nome do hepático
do rínio
e do espírito pâncreas
ele me fez
51
renome Orí-zoma
bile tática
instinto drapetômano
ele me fez
o xamânico bicho
ancestral biônico
humano ilícito
ele me fez
tectônico rito
continente risco
diásporo onírico
ele tex
tura
de pele es
cura
quebranto
lura
acalanto
era tanto
de areia
de fundo
de mar
de low
cura
Ilê disse sim
(pro Axé)
Ikú não
pro amém
NÃO!
e Ele dissen-
tão vem
Tata
Atotô,
Baba.